Aumenta o número de dentes fraturados durante a pandemia

Emoções que se manifestam neste momento de crise são as principais responsáveis por esse problema nos adultos. Já nas crianças, a fratura – na maior parte das vezes – é decorrente de acidentes domésticos.

A mudança de rotina por conta da pandemia do Covid-19 tem refletido cada vez mais na saúde dos cidadãos. O estresse proporcionado pelas limitações e alterações no dia a dia gera uma tensão que pode ocasionar pressão nos dentes, levando a desgastes. Em casos mais complexos, até fraturas podem ocorrer.


“Casos de reabilitação de dentes que quebraram por conta do apertamento excessivo têm sido cada vez mais frequentes nos consultórios odontológicos. Muitos pacientes já chegam ao consultório com dentes fraturados”, explana Dr. João Reis, Cirurgião-Dentista. “Têm casos também que mesmo não estressadas manifestam o ranger exagerado durante o sono, o famoso bruxismo”, acrescenta. Esse problema, inclusive, atinge 40% da população e podem trazer outros efeitos como dores na face, na cabeça, nos ombros e também no pescoço. Nas crianças, o problema pode ser gerado por outros fatores.


Se no mundo adulto as emoções refletem diretamente na saúde bucal, no universo infantil, a atenção para com o comportamento dos pequenos dentro de casa precisa ser redobrada. “Confinadas, elas só têm a opção de brincar dentro de casa. Logo, há riscos de quedas e acidentes, já que – de forma geral – os espaços são limitados, rodeados de móveis, pisos escorregadios, o que representam um perigo”, frisa Dr. João Reis. “As crianças dentro de casa brincam, pulam, levam brinquedos á boca, e uma queda pode resultar em um traumatismo dentário”, alerta o profissional.

Compartilhe essa postagem