Chico Buarque traz “Caravanas” para Salvador

 

 

Primeiro show foi ontem (17) no palco do Teatro Castro Alves. As apresentações vão até 20 de maio.

 

 

O álbum Caravanas (Biscoito Fino -2017) está presente na íntegra e não apenas inspira o show, mas dá o norte de todo o repertório. As demais canções escolhidas dialogam com as mais recentes, seja por afinidades musicais ou temáticas. O show traz ainda 19 canções de diferentes décadas, do início dos anos 60 até hoje. A obra de Chico se confunde com a própria história do Brasil. Ele traçou, em mais de 50 anos de carreira, um painel preciso do país, com seus contrastes, belezas e paixões inflamadas.

 

A abertura de Caravanas é com a única canção não autoral do roteiro, ‘Minha embaixada chegou’, de Assis Valente. Com duração de aproximadamente 1h30, o roteiro inclui duas parcerias de Chico com Tom Jobim, ‘Retrato em branco e preto’ e ‘Sabiá’, que nunca estiveram presentes em seus espetáculos oficiais. O repertório traz ainda clássicos que há muito não eram apresentadas ao vivo, como ‘Gota D´água’, ‘Partido alto’, ‘Estação derradeira’ e ‘Iolanda’.

 

O eu lírico feminino está presente em ‘Palavra de mulher’, ‘A história de Lily Braun’, que se irmanam com canções da lavra mais romântica de Chico, como ‘Todo sentimento’, ‘As vitrines’ e ‘Futuros amantes’. O roteiro do show resgata também “lados B” da lavra do poeta, como ‘Outros sonhos’, ‘Injuriado’ e ‘A bela e a fera’, que ressurgem com novos sentidos.

 

O célebre malandro cantado por Chico volta à cena mais atual do que nunca, como atestam os versos de ‘Homenagem ao malandro’: “agora já não é normal, o que dá de malandro regular, profissional, malandro com aparato de malandro oficial, malandro candidato a malandro federal, malandro com retrato na coluna social, malandro com contrato, com gravata e capital, que nunca se dá mal”.

 

O espetáculo é dedicado a Wilson das Neves, que faleceu no ano passado. Para relembrar uma canção composta com o parceiro e tradicional baterista de várias turnês, Chico interpreta ‘Grande Hotel’. Os músicos que acompanham o cantor são seus fiéis companheiros de palco: o maestro, arranjador e violonista Luiz Claudio Ramos, João Rebouças (piano), Bia Paes Leme (teclados e vocais), Chico Batera (percussão), Jorge Helder (contrabaixo), Marcelo Bernardes (flauta e sopros) e Jurim Moreira (bateria), substituindo Wilson das Neves.

 

Helio Eichbauer A cenografia leva novamente a assinatura de, que esteve nas duas últimas turnês e para a atual concebeu uma escultura suspensa, descrita por ele como “uma esfera armilar que flutua no espaço azul como algum sistema planetário”. Além disso, oito cordas coloridas desenham no horizonte sequências e ondas marítimas e sonoras, alternando as linhas sinuosas de cristas e vales.

 

 

Foto: Rose Lima

 

 

​Serviço

CARAVANAS – show com Chico Buarque e banda em Salvador

De 17 a 20 de maio (quinta a domingo)

Local: Teatro Castro Alves

Endereço: Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande

Telefone: (71) 3535 0600

Horário:

Quinta e sexta-feira: 21h30

Sábado: 21h

Domingo: 20h

Abertura dos portões:Quinta e Sexta: 20h30

Sábado: 20h

Domingo: 19h

Classificação etária: livre

Ingresso 1º lote

Setor A-P – R$ 490,00 (inteira) | R$ 245,00 (meia)

Setor Q-Z – R$ 380,00 (inteira) | R$ 190,00 (meia)

Setor Z1- Z11 – R$ 320,00 (inteira) | R$ 160,00 (meia)

PONTOS DE VENDA: Bilheterias do Teatro Castro Alves

Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande

Funcionamento:

De segunda-feira a sábado – 10h às 22h, domingo – 09h às 21h

Vendas Online https://www.ingressorapido.com.br

Realização: Multi Entretenimento

 

Compartilhe essa postagem