Coluna DestINos – Santo Amaro Recôncavo Baiano

Que tal uma sugestão de viagem curtinha mas cheia de conteúdo histórico e belezas naturais? Pois é, saímos de Salvador em direção ao recôncavo baiano, e vamos dar, nesta edição da Coluna DestINos, dicas super legais de uma linda cidade que merece sua visita. Vamos?!

Como chegar?

De carro, saímos de Salvador às 7:30, pela BR 324 e, 72 km depois – 50min, desembarcamos em Santo Amaro da Purificação. Para quem optar pela viagem de ônibus, basta ir à rodoviária de Salvador, e buscar pela empresa Santana. A passagem custa pouco mais de R$22. 

A Cidade

A beira do rio Subaé, a cidade foi fundada em 13 de março de 1837, hoje com pouco mais de 60 mil habitantes e economia predominantemente rural (Cana de açúcar, dendê, cacau e bambu). Em 1993, depois de uma reforma administrativa, Santo Amaro adquire a configuração que se mantém com apenas quatro distritos: Santo Amaro (sede), Acupe, Pedras e (Oliveira) Campinhos. 

ONDE SE HOSPEDAR:

A cidade tem vários hotéis 2 e 3 estrelas que variam entre R$90 a R$150 reais a diária com café da manhã. Nós, optamos pelo Hotel Lobo – 75 9 9194-1308, que fica no centro da cidade a 3 min da rodoviária, e pagamos 100 reais por quarto com tv, frigobar, internet e ar condicionado. Ainda tem estacionamento próprio e grátis. Hiper válido! 

SANTO AMARO 

A cidade é nacionalmente famosa por ter sido o local de nascimento do cantor e compositor Caetano Veloso e de sua irmã, a também cantora Maria Bethânia. Em 2012, a cidade perdeu uma de suas personalidades mais ilustres: aos 105 anos, Dona Canô, mãe dos artistas e figura representativa da cidade.  Mas, a lista de personalidades notáveis é ainda maior; o professor Jorge Portugal (falecido em agosto de 2020), o compositor e cantor Roberto Mendes, a escritora Mabel Veloso, Teodoro Sampaio (falecido em 1937), Edith do Prato (falecida em 2009), Besouro (falecido em 1924 https://youtu.be/eqQGV95ZMPo ), Assis Valente (falecido em 1958) , entre outros. 

Casa de D. Canô

Para onde ir:

No centro da cidade, é visita obrigatória a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação. O início da construção foi em 1706 com conclusão no fim do século XVIII. Foi tombada pelo IPHAN em 1941 e possui pintura ilusionista italiana que era moda na Bahia na segunda metade do século XVIII, além disso, tem 10 painéis de azulejos azuis portugueses.

As praças também valem o passeio. A da Matriz, tem chafariz do início do século e que ainda embeleza a cidade. A população costuma frequentar os espaços e as casas, em sua maioria, possui varanda com cadeira nas calçadas. 

A pé, você conhece quase todo o município. A beira do Subaé, o Teatro Dona Canô: Construído em homenagem à matriarca da família Veloso, foi implantado em uma área histórica da cidade no antigo Cais de Araújo Pinho, inaugurado em 2001, reuniu vários artistas locais e nacionais através do projeto Dona Canô Chamou. O teatro pode ser considerado um dos mais bem equipados da Bahia, contém um palco de 150 m², três camarins, sistema central de ar-condicionado, adaptações para portadores de deficiência, iluminação cênica, sonorização e sistema anti-incêndio. Atualmente, fechado por conta da pandemia. 

Outro ponto é a Casa do Samba. É um Centro de Referência, apoio, estudo e difusão do Samba de Roda da Bahia, local em que são realizadas as assembleias entre os grupos de samba e os representantes da Associação. A inauguração da Casa do Samba representou a abertura de um novo espaço de atuação dos sambadores e sambadeiras e o reconhecimento dessa expressão como patrimônio da humanidade.

Um dos pontos atualmente mais visitados por quem visita Santo Amaro, é a Cachoeira do Urubu, que tem cerca de 50 metros de altura e é conhecida pelos nativos como mãe d’água, ela é a cachoeira mais bela e alta da região. O local é público e por isso sua visitação é livre, mas, o ideal, por questões de segurança, é que se vá na companhia de guia local. Isso porque a trilha é considerada de média complexidade por ser área inundada, ou seja; vez ou outra, será necessário entrar na água para travessias. Além disso, a trilha é sob trilhos de trem – que ainda faz transporte de carga

Veja conteúdos exclusivos nos stories / destaque do @canalin__ e @rhjpinto 

Festas locais    

Terno de Reis: Em janeiro, organizado pela família Veloso, faz parte dos festejos natalinos, inspirado nos três reis magos.

Festa de Nossa Senhora da Purificação – Festa em louvor a Nossa Senhora da Purificação. Uma das mais tradicionais do estado, com novena (conhecida como “novena de Dona Canô”), com lavagem das escadarias da igreja e procissão. A celebração ocorre anualmente de 24 de janeiro a 02 fevereiro. Este ano, foi interrompida por conta da pandemia do jogo Coronavírus. 

São João: Como todo bom interior da Bahia, entre os dias 20 e 28 de junho, são acesas fogueiras na porta das casas e a cidade conta também com apresentação de quadrilhas e shows musicais temáticos. 

Gastronomia:

A Maniçoba, que tem como principal ingrediente a maniva, a folha da mandioca moída, leva tudo quanto é tipo de carne bovina e suína. Pode ficar cozinhando por até 12h para que as toxinas das folhas sejam totalmente eliminadas. A aparência não é tão convidativa, mas o sabor é incrível! 

Considerações:

Os custos que envolveram este roteiro, estimou-se em R$350. Incluindo gasolina, hospedagem, alimentação e guia local. A viagem pode ter o custo reduzido se optar por excursões, cuja a empresa FW Viagens, que nos apoia nessa edição da Coluna DestINos, promove. Entre em contato e saiba mais https://instagram.com/fwviagens_?igshid=1k779fkbky5ei 

Equipe Canal In

Repórter / Editor / Fotos: Ricardo Henrique 

Produção: Jailton Sales 

Apoio: FW Viagens 

Compartilhe essa postagem

Sem comentários

Acrescente o seu