Cresce procura por tratamento contra calvície

A preocupação dos homens com a calvície é um fator preponderante entre os demais itens considerados relevantes na estética masculina. Segundo um levantamento com dados de especialistas brasileiros divulgados no ano passado, calvos têm procurado cada vez mais consultórios de dermatologia em meio à pandemia.

A dermaticista Maria Hartmann, diretora da Clínica Hartmann, explica que o aumento da procura por procedimentos contra a calvície na pandemia está atrelado à possibilidade dos pacientes permanecerem em casa após o tratamento e evitarem as reações das pessoas com a mudança instantânea de visual e recuperação do couro cabeludo. “Vivemos em uma sociedade em que o cabelo é muito valorizado como elemento inerente à beleza e à autoestima”, enfatiza.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), metade dos homens com até 50 anos possui calvície. No entanto, nas últimas décadas têm surgido tratamentos com técnicas cada vez mais sofisticadas. O procedimento que tem se mostrado mais eficaz até o momento é a cirurgia, tanto é que o mercado de transplantes capilares cresceu mais de 150% entre 2010 e 2020. 

As técnicas mais avançadas atualmente consistem em transferir os fios de outras partes do corpo, como os da nuca do próprio paciente. Entretanto, existem métodos mais convencionais, como a ingestão de finasterida, medicamento que evita o afinamento do cabelo antes da queda; e o minoxidil, vasodilatador que estimula a circulação sanguínea e permite que mais oxigênio e nutrientes cheguem à raiz dos cabelos. 

Técnicas como a de microinfusão de medicamentos, com aplicação diretamente no local onde ocorre a queda capilar para fazer com que os fios voltem a crescer de forma saudável, e a mesoterapia capilar, utilizada para tratar a queda de cabelo crônica a partir da aplicação de substâncias diretamente no couro cabeludo para estimular o crescimento do cabelo, são também alternativas para combater a calvície e garantir o crescimento dos fios com um aspecto mais bonito e saudável, explica a dermaticista Maria Hartmann. 

Equipe Canal In

Repórter / Editor: Ricardo Henrique

Foto: divulgação

Compartilhe essa postagem

Sem comentários

Acrescente o seu