DICA IN: Dez Filmes de Terror Imperdíveis para ver na Netflix

1 – Os Outros (The Others, 2001)

Nota: 9/10

Duração: 101 minutos

Diretor: Alejandro Amenábar

Estrelando: Nicole Kidman, Christopher Eccleston, Fionnula Flanagan

Sinopse:

“Enquanto aguarda seu marido retornar da Segunda Guerra Mundial, uma cristã devota e mãe de dois filhos suspeita que sua casa seja assombrada”.

Comentário:

Os Outros é um filme cheio de reviravoltas, ao melhor estilo M. Night Shyamalan. Ele te proporciona, ao longo da trama, todos os elementos para você descobrir o mistério por trás da história. Contudo, mesmo assim, você se surpreende (e se assusta também). A casa, com um clima de local mal-assombrado, os mordomos, as crianças – todos os elementos de um filme de terror padrão estão presentes nessa obra. O destaque, contudo, fica à cargo daNicole Kidman, que transmite com maestria a sensação de pavor que a protagonista necessita demonstrar para o público comprar a história.

2 – Cam (Cam, 2018)

Nota: 10/10

Duração: 94 minutos

Diretor: Daniel Goldhaber

Estrelando: Madeline Brewer, Patch Darragh, MeloraWalters

Sinopse:

Alice, uma ambiciosa camgirl, acorda um dia e descobre que foi substituída por uma réplica exata de si mesma.

Comentário:

O filme parece um episódio perdido de Black Mirror (o que é muito bom). Utilizando-se de metalinguagens e símbolos, possuindo um texto fluído, com diálogos realistas, promove uma reflexão sobre a imersão da sociedade nas tecnologias – e como elas podem influenciar nas nossas vidas. Como você pode ter certeza de que está realmente falando com outra pessoa no outro lado da tela? Assustador pela veracidade (e plausibilidade). Madeline Brewer, conhecida pela série The Handmaid’s Tale, entrega uma excelente protagonista.

3 – O Presente (The Gift, 2015)

Nota: 9/10

Duração: 108 minutos

Diretor: Joel Edgerton

Estrelando: Jason Bateman, Rebecca Hall, Joel Edgerton

Sinopse:

“Transferido para a Califórnia, um homem encontra por acaso um ex-colega de turma que parece amigável, mas logo demonstra nutrir um rancor psicótico”.

Comentário:

Filmes de terror psicológico precisam de uma ligação direta com o espectador. Ou cria-se o vínculo, ou o filme não funciona. No caso de “O Presente”, o que torna a obra crível (e espetacular) é a sua premissa, bastante simples: você foi uma boa pessoa durante toda a sua vida? Tem algo de que se arrepende? A vida de quantas pessoas foi impactada por suas atitudes? Uma verdadeira reflexão sobre como nos comportamos perante os outros (e que todas as nossas ações possuem consequências – e algumas delas vêm em forma de presentes indesejados).

4 – Raw (Grave, 2016)

Nota: 8,5/10

Duração: 99 minutos

Diretora: Julia Ducournau

Estrelando: Garance Marillier, Ella Rumpf, Rabah NaitOufella

Sinopse:

“Após ser obrigada a comer carne crua num trote da faculdade, uma jovem vegetariana é dominada por uma vontade avassaladora de devorar carne em qualquer forma”.

Comentário:

Raw é um filme pouco palatável. Quando digo isso, me refiro às sensações que tive ao assisti-lo. Como vegetariano, a identificação com a protagonista foi quase instantânea. Ser obrigado a fazer algo que lhe gera repulsa é, por si só, traumatizante, tanto para o indivíduo quanto para quem está assistindo. As consequências de um simples trote de faculdade podem ser avassaladoras na vida de uma jovem. E, traçando um paralelo com o próprio nome do filme, Raw (Cru) é o que se depreende da postura humana canibal: crua, visceral. Um filme que gera repulsa, que causa desconforto, mas que vale a pena assistir, na tentativa de desvendar os mistérios da psiquê humana.

5 – Hush: A Morte Ouve (Hush, 2016)

Nota: 8/10

Duração: 82 minutos

Diretor: Mike Flanagan

Estrelando: John Gallagher Jr., Kate Siegel, Michael Trucco

Sinopse:

“Uma escritora surda que se retirou para a floresta para viver uma vida solitária deve lutar por sua vida em silêncio quando um assassino mascarado aparece em sua janela”.

Comentário:

O filme proporciona uma das experiências mais angustiantes para o espectador: presenciar a tentativa de uma mulher em escapar de um assassino, sem utilizar dos elementos mais básicos de defesa humana – a voz e a audição. A atuação da Kate Siegel é o maior destaque do filme, juntamente com o roteiro (que foi escrito por ela) e a locação onde o filme se situa. Sem a entrega dela em tornar crível a personagem surda e muda, o filme não funcionaria. Reiterando, o filme é angustiante e, com certeza, você vai se pegar gritando pela personagem.

6 – Verônica: Jogo Sobrenatural (Verónica, 2017)

Nota: 8/10

Duração: 105 minutos

Diretor: Paco Plaza

Estrelando: Sandra Escacena, Bruna González, Claudia Placer

Sinopse:

“Após ter participado de uma sessão espírita na escola, uma jovem encarregada de cuidar dos irmãos teme que uma força maligna tenha invadido seu apartamento”.  

Comentário:

Tabuleiros de Ouija são um tema recorrente em filmes de terror. Contudo, o que diferencia “Verônica” dos demais é a sua abordagem mais simplória. Sem exageros, o filme dá enfoque nas relações entre os personagens – principalmente nas relações familiares – e como a interferência do sobrenatural as afeta. A obra sabe exatamente o momento de explorar os elementos sobrenaturais, sem saturar o público (e tampouco fazer exposição barata). O destaque aqui vai para a direção, que faz jogos de câmera no intuito de tornar a experiência imersiva para o espectador.

7 – Invocação do Mal 2 (The Conjuring 2, 2016)

Nota: 9/10

Duração: 134 minutos

Diretor: James Wan

Estrelando: Vera Farmiga, Patrick Wilson, Madison Wolfe

Sinopse:

“Ed e Lorraine Warren viajam para o norte de Londres para ajudar uma mãe solteira, que cria os seus quatro filhos sozinha em uma casa atormentada por espíritos sobrenaturais”.

Comentário:

A franquia Invocação do Mal dispensa apresentações. Com uma série de spin-offs (Annabelle, A Freira, A Maldição da Chorona e outros anunciados), é possível dizer que há um universo cinematográfico do terror (tal qual o existente com os filmes da Marvel).

Invocação do Mal 2, contudo, se destaca por ser melhor que o seu antecessor. Além de desenvolver ainda mais o casal de protagonistas, trazendo uma abordagem mais humanizada para estes, amplia a mitologia por trás da série, apresentando novos personagens (vide A Freira, que ganharia um filme solo anos depois) e reforça a marca autoral implementada por James Wan na direção, o que ajudou a popularizar o gênero.

8 – Corrente do Mal (It Follows, 2014)

Nota: 7,5/10

Duração: 100 minutos

Diretor: David Robert Mitchell

Estrelando: Maika Monroe, Keir Gilchrist, Olivia Luccardi

Sinopse:

“Após um encontro sexual, Jay descobre que recebeu uma maldição fatal. A única forma de se curar é a transmitindo para outra pessoa”.

Comentário:

A ideia de ter alguém te perseguindo, aonde quer que você vá, já é tenebrosa o suficiente. Agora, imagine isso acontece logo após um encontro com alguém que você gosta. Depois de dormirem juntos, essa pessoa te confidencia que, a partir de agora, você tem uma maldição e, enquanto não dormir com outra pessoa, alguém irá te perseguir, por toda parte, sempre caminhando. E não adianta fugir, pois esse stalker assume diversas feições e continuará te seguindo. Premissa simples, mas aterrorizante o suficiente. Mais uma vez, a clássica história de terror, onde jovens transam e são mortos por isso, contada sob uma perspectiva inovadora.  

9 – Jogos Mortais (Saw, 2004)

Nota: 8,5/10

Duração: 103 minutos

Diretor: James Wan

Estrelando: Cary Elwes, Leigh Whannell, Danny Glover

Sinopse:

“Dois estranhos, que despertam em uma sala sem nenhuma lembrança de como chegaram lá, logo descobrem que são peões em um jogo mortal perpetrado por um notório serial killer”.

Comentário:

O diretor James Wan demonstra todo o seu potencial nesse filme. Se em Invocação do Mal 2, ele já domina várias técnicas e sabe muito bem aonde quer que a sua história chegue (e o que é necessário para tanto), em Jogos Mortais, pode-se dizer que foi o começo de tudo.

Jogos Mortais é mais uma franquia de sucesso em termos de produções de terror hollywoodianas. Com um baixo orçamento e utilizando apenas uma locação, o filme se destaca pelo conjunto da obra. Se você fosse colocado em uma sala, tendo que sobreviver à todo custo, com uma pessoa na sua frente que também está na mesma situação, quais seriam os seus pensamentos? Você seria altruísta ou nem sequer pensaria nisso?

Se os filmes posteriores da franquia não são dignos de recomendação, o primeiro Jogos Mortais é, sem dúvidas, um clássico imperdível da nova geração de filmes de terror.

10 Aterrorizados (Aterrados, 2017)

Nota: 7/10

Duração: 87 minutos

Diretor: Demián Rugna

Estrelando: Maximiliano Ghione, Norberto Gonzalo, Elvira Onetto

Sinopse:

“Um ex-policial e dois especialistas em fenômenos paranormais se juntam para investigar incidentes aterrorizadores que acontecem em um bairro de Buenos Aires”.

Comentário:

“Aterrorizados” é um filme que utiliza do elemento sobrenatural para criar o terror. Em outras palavras, as conexões estabelecidas entre o público e os personagens são reforçadas pelo fator místico da obra.

A partir de uma tripla perspectiva, somos introduzidos a um terror no melhor estilo poltergeist, destacando-se como o sobrenatural afeta a vida de cada um dos protagonistas.

Com um remake já planejado por Guillermo Del Toro, assistir à obra original torna-se uma obrigação para os amantes do terror.

 

 

Equipe Canal In

Repórter / Lista: Marco Dias 

Editor: Ricardo Henrique 

Compartilhe essa postagem

Sem comentários

Acrescente o seu