Grupo Petrópolis apresenta primeira cerveja feita com lúpulo cultivado no Centro Cervejeiro da Serra, em Teresópolis

O Grupo Petrópolis lança, em outubro, a Black PrincessBraza Hops, primeira cerveja produzida com lúpulo brasileiro plantado no Centro Cervejeiro da Serra, em Teresópolis. A bebida é do estilo German Pils, tem corpo leve, cor dourada e espuma densa e intensa. A Braza Hops tem amargor e refrescância na medida certa, o que realça o aroma lupulado da bebida.

Cultivado em Teresópolis, no Centro Cervejeiro da Serra, espaço do Grupo Petrópolis para estudo e experimento cervejeiro, o lúpulo utilizado na produção da Braza Hops foi o primeiro do país a obter o termo de conformidade emitido com o aval do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e o primeiro também a possuir nota fiscal de origem das plantas.

Nascido de uma manifestação botânica espontânea, na região serrana do Rio de Janeiro, o lúpulo foi adicionado na receita da Braza Hops ainda fresco, em flor, para otimizar seu potencial aromático e ressaltar ainda mais as características de frescor. O terroir do local – interações geofísicas da plantação – trazem uma nota herbal para o paladar final da Braza.

Diego Gomes, diretor industrial do Grupo Petrópolis e a frente do Centro Cervejeiro da Serra, comenta sobre a produção própria de lúpulo: “O diferencial do lúpulo produzido no Brasil é o frescor e o aroma. O importado, utilizado hoje no país pela maioria das cervejarias, tem normalmente um ano de colhido. Ter um lúpulo produzido ‘no quintal de casa’ é sempre vantajoso por uma série de fatores como, por exemplo, o terroir do local, que são as interações geofísicas daquela região somadas às suas crenças e cultura. Isso traz uma particularidade nobre para o cultivo, tornando-o único e gerando valor”.

Foto: divulgação

Compartilhe essa postagem