Resenha IN do Filme Aves de Rapina (Birds of Prey, 2020)

A canção “Let It Go”, do filme Frozen, da Disney, representou um marco na história das canções feitas para animações. Levou o Oscar de Melhor Canção Original no ano de 2014 e ficou na mente do público por um enorme período de tempo. Mas, apesar do ritmo contagiante e o efeito chiclete, a letra da música transmite uma mensagem empoderada, fazendo o público refletir sobre as coisas que deixamos de lado para tornarmo-nos quem realmente queremos ser. 

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa, filme que estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta (06), é o melhor exemplo de libertação das amarras que prendiam a personagem historicamente atrelada ao Coringa. 

Desde a sua criação, na série animada do Batman dos anos 90, a Arlequina sempre teve a sua imagem associada ao icônico vilão do homem-morcego. Posteriormente, várias foram as histórias em quadrinhos que deram uma certa autonomia para a personagem, mas ela nunca teve uma adaptação cinematográfica para chamar de sua (até agora). 

O filme se inicia logo após os eventos de Esquadrão Suicida, com a Arlequina (Margot Robbie) lidando com o término da sua relação com o Coringa. Ela transita entre sua nova casa (um quarto alugado no andar de cima de um restaurante chinês), as ruas de Gotham e o clube de show do Roman Sionis (Ewan McGregor), antagonista da trama, que aguarda uma oportunidade para matá-la. 

Através de uma narração em off, a personagem nos situa sobre os acontecimentos da história e os desdobramentos das situações que estão por vir, ao melhor estilo Deadpool. Ela quebra a quarta-parede por diversas vezes, interagindo com o público de maneira cômica.

Apesar de mencionado constantemente, a ausência do Coringa não faz qualquer falta para a narrativa. Em verdade, o fato dele não aparecer é justificado, pois não haveria espaço para o personagem na jornada de emancipação da Arlequina (bem como seria um desserviço escalar o Jared Leto após a magistral atuação do Joaquim Phoenix). 

O desenvolvimento dos novos personagens é bem trabalhado, de maneira estrutural e gradativa. Mesmo com a narração da Arlequina para os acontecimentos, conseguimos ver perfeitamente a construção dos arcos de cada um, bem como as relações que mantém entre si. Destaque para a parceria formada entre a protagonista e a Cassandra Cain (Ella Jay Basco).

As relações estabelecidas entre as personagens são um ponto de destaque, tendo em vista que o filme leva o nome de uma das equipes de heroínas mais famosas da DC Comics. As Aves de Rapina, formadas pela Canário Negro (JurneeSmollett-Bell), a Caçadora (Mary Elizabeth Winstead) e a detetive de polícia Renee Montoya (Rose Perez) contam com a ajuda da Arlequina para começar a sua jornada no combate ao crime em Gotham City. 

O roteiro, contudo, deixa a desejar, girando em torno de um McGuffin: o diamante perdido da família Bertinelli. Um McGuffin é um elemento de roteiro que funciona para movimentar a trama, fazendo com que os personagens corram atrás de um objeto que, para o público, não possui a menor importância (além de não possuir qualquer explicação narrativa). E em Aves de Rapina, vemos todos os personagens em busca do diamante. 

Em termos visuais, o filme utiliza uma das poucas coisas que deram certo em Esquadrão Suicida: os letreiros com o nome do personagem e alguma informação adicional aparecendo na tela, em cores vibrantes (que se fazem presentes ao longo de todo o filme). A ambientação suburbana de Gotham City não impressiona, mas é operante. 

A trilha sonora é, sem dúvidas, um dos destaques do filme. Constituída apenas por artistas femininas, conta com a participação de nomes como a Halsey e Lauren Jauregui. A própria Canário Negro canta uma versão de It’s A Man’s Man’sMan’s World, do James Brown. 

Aves de Rapina proporciona um entretenimento repleto de girl power, com a jornada de uma das mais adoradas anti-heroínas tendo o seu arco narrativo bem delimitado e proporcionando a expansão do desorganizado universo expandido cinematográfico da DC Comics, com a introdução de novas personagens. 

NOTA: 8/10 

FICHA TÉCNICA: 

Título Original: Birds of Prey: And the FantabulousEmancipation of One Harley Quinn (Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa) 

Duração: 109 minutos

Gênero: Ação, Aventura

Direção: Cathy Yan

Estrelando: Margot Robbie, Rosie Perez, Mary Elizabeth Winstead, Ewan McGregor e outros 

Estreia Nacional: 06 de fevereiro de 2020

Equipe Canal In

Repórter: Marco Dias

Fotos: divulgação

Compartilhe essa postagem