Série DestINos apresenta um paraíso florestal com cachoeiras dentro da capital baiana



Quem poderia imaginar que em meio à selva de pedras que é Salvador há uma grande área verde com águas em abundância? E mais, que a capital baiana abriga cachoeiras! Isso mesmo, a natureza é pulsante em Salvador, porém, desconhecida.

Vem com a série DestINos conhecer uma das maiores reservas de mata atlântica dentro de um centro urbano do Brasil, o Parque São Bartolomeu.


Onde fica:


O Parque São Bartolomeu fica localizado no subúrbio, entre a enseada dos cabritos e o bairro de Pirajá, é o refúgio perfeito para quem deseja se desconectar da agitação da metrópole e se conectar com a leveza da natureza, sem precisar sair da cidade. Algumas escolas, ONG’s e grupos sociais organizam passeios para conhecer o local, nesta trilha, estávamos sob a direção do grupo Guardiões da APA.

 

Como Chegar e onde ficar:

Existem duas formas de chegada, e o acesso pode ser feito por ônibus e carro: uma é por meio da BR 528 » Derba » Estrada Velha de Periperi » que dá acesso Av. Afrânio Peixoto, conhecida como suburbana » Bairro de Plataforma (Entrada fica próxima à Ladeira de Plataforma). A outra é pela cidade baixa » Baixa do fiscal »  sentido Plataforma. Antes de subir a ladeira, encontrará uma sinalização de acesso. A entrada é gratuita.


Quem vem de fora, pode encontrar algumas opções de hotéis e pousadas na região do Parque, porém, nada muito luxuoso. Quem prefere comodidade pode se hospedar nos bairros centrais da cidade e seguir as coordenadas indicadas.

História:


As cachoeiras, praças e pedras do Parque São Bartolomeu são batizadas com nomes de orixás. O Local é sagrado para as religiões de matriz africana. Outrora, os mais de 150 hectares de vegetação composta por pântanos e manguezais foram ocupados por indígenas. Mas a degradação ambiental e o abandono público de cerca de 20 anos causaram danos a natureza. Algumas cachoeiras estão poluídas e impróprias para banho. Atualmente, o Parque é mantido pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), órgão estadual.

De acordo com Vandson Teixeira, coordenador cultural da Conder, apesar da beleza, muitas pessoas não visitam o Parque por preconceito da região: “Qualquer grupo quando liga para agendar uma visita pergunta logo se está acontecendo assaltos. Então essa visão pejorativa criada no passado ainda permanece na cabeça das pessoas e quebramos isso através de atividades culturais”, disse.

O que fazer:


As opções de lazer são as mais variadas, desde confraternizações à esportes radicais.

Na entrada do Parque somos abraçados pela cachoeira e praça de Oxum, lugar ideal para piqueniques entre amigos e família. A praça fornece uma grande área pavimentada, ideal para quem curte andar de patins, bicicleta e skate. Ao lado há um Centro de Referência onde acontecem ensaios de grupos de dança e teatro ao ar livre além de exposições e oficinas.

A segunda parada é na Cachoeira Oxumaré, diferente da primeira, nessa o banho é permitido.

Mais alguns minutos de trilha, subindo a escada dos escravos – cujo nome faz referência aos negros que a construíram séculos atrás – chegamos a Cascata de Nanã. Entre todas que vimos até aqui é a mais volumosa, porém, infelizmente, um alerta interrompe os visitantes de banharem-se nas águas: imprópria. Mas a energia do local é indescritível e supera qualquer adversidade.


A última cachoeira da trilha é a da Barragem, a mais bela e imponente de todas. Próximo a ela tem um campo de futebol improvisado e a barragem do Rio do Cobre, que abastecia oito bairros do subúrbio mas teve sua distribuição impedida por contaminação. É lá que o passeio é finalizado, sendo possível praticar rappel e admirar a queda d’água que percorre o Parque São Bartolomeu e deságua na Baía de Todos-os-Santos.


Quem tiver interesse em visitar o Parque São Bartolomeu pode agendar uma visita guiada através do número 71 3401-0245 ou pelo e-mail parquesaobartolomeu@gmail.com. Ou através do Facebook da Trilha ecológica da APA Bacia do Cobre, onde são divulgadas novas datas dos passeios.

 

Equipe Canal In

Repórteres: Lucas Gomes e Vinicius Lopes

Produção: Jeferson Pereira 

Editor: Ricardo Henrique

Fotos: Reginaldo Silva / Canal In

Compartilhe essa postagem