Coluna DestINos: Foz do Iguaçu além das Cataratas

Oi, gente! Tudo bem?! Já estávamos com saudade de viajar e contar tudo pra vocês aqui na Coluna DestINos. Por conta da pandemia, esta viagem ganhou moldes mais complexos de segurança sanitária. Todos os protocolos foram seguidos à risca. A equipe – reduzida – usou máscaras (duplo tecido e NR 95), álcool em gel (70%), e manteve o distanciamento social sempre que possível. A companhia aérea, o hotel e os locais visitados, TODOS seguiram rigorosamente os protocolos exigidos pelos órgãos reguladores. 

Seguros, e cheio de coisas para contar… Vamos lá?!

Obs: Acompanhe tudo – destaques – pelos perfis no Instagram @canalin__ e @rhjpinto 

Foz do Iguaçu 

Município do oeste paranaense, Foz do Iguaçu – fotos – abriga um espetáculo da natureza, Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO: As Cataratas do Iguaçu. A cidade está localizada na tríplice fronteira com o Paraguai 🇵🇾 e a Argentina 🇦🇷 e, por esta razão, está próxima a grandes centros de compras, bons restaurantes e – para quem gosta e tem grana para gastar – animados cassinos. 

Uma população estimada em cerca de 260 mil habitantes, o aeroporto fica a 17km do centro. Além das famosas cataratas – que possuem mais de 275 quedas d’águas de até 80 metros – Vale a pena visitar também o Parque das Aves, o Macuco Safari – para quem gosta de radicalizar – que é um passeio de jipe e bote inflável que vai bem pertinho das cataratas, a Hidrelétrica de Itaipu – uma das maiores do planeta, e, para quem tem um tempo bom, visitar a Ciudad del Este no Paraguai e a argentina Puerto Iguazú. 

Vamos passear! 

Como chegar:

Saímos de Salvador, Bahia, pelo aeroporto internacional Salvador Bahia AirPort (foto) em direção à Campinas – Viracopos – em São Paulo. Depois de 1h e meia esperando a conexão , voamos em direção ao aeroporto internacional de Foz do Iguaçu – Cataratas. Gastamos cerca de 7 horas entre SSA e Foz. Voamos Azul, por opção. 

Foto:Will Recarey

A volta à Bahia foi mais complexa e cansativa. Saímos de Foz, pousamos em Curitiba e aguardamos 4 horas outro voo para Campinas, em São Paulo, e só de lá, embarcamos para Salvador. Mais de 12h somando tudo. A cia aérea é a mesma: Azul. 

Ao todo, cinco aviões. ✈️ 🤪 

Onde ficar

Escolhemos o Continental INN. Por que será?! Canal IN, destINos… rs 

Conheça

https://www.redesoul.rs/acomoda%C3%A7%C3%B5es-continental

Investimento

Então, nós sempre indicamos uma agência de viagem no caso de escolher visitar um novo destino, pelo valor, mas, sobretudo, pelo suporte oferecido. Aquela ‘mão amiga’ que acolhe quando você não tem as “manhas” do destino escolhido. 

Nossa dupla IN, foi apoiada pela secretaria de turismo local e pela agência CVC – Rio Vermelho / SAA. Mas, comercialmente falando, o custo para esta viagem no início do segundo semestre fica em torno de 2.400 (dois mil e quatrocentos reais) para duas pessoas com passagem e hospedagem + café da manhã. Fora os custos com alimentação e passeios. 

OS ROLÊS

Macuco Safari

Este passeio radical acontece no Parque Nacional do Iguaçu. O visitante percorre uma trilha em carro aberto para garantir a observação dos animais nativos como borboletas, quatis, macacos e aves. Logo na chegada ao “Salto do Macuco”, tem o embarque em um bote inflável que navega pelo Rio Iguaçu em direção às cataratas. A indicação é ir com capa de chuva, já que estará muito perto das quedas d’águas. 

Como não curtimos turismo de aventura, ficamos só olhando… Rs 🤪 

Valor: a partir de R$148,00 (cento e quarenta e oito reais ) 

Ingressos:https://www.macucosafari.com.br/br/macuco-safari/macuco-safari 

Foto: divulgação 

As Cataratas do Iguaçu BR

As visitas às cataratas – que possuem mais de 275 quedas d’águas de até 80 metros – do lado brasileiro, geralmente, acontecem no período matutino. O Parque Nacional é declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO por abrigar as famosas cataratas e um santuário ecológico da fauna e flora silvestres. Para chegar até lá, tomamos o transporte por aplicativo até o Parque Nacional, onde fica a bilheteria, e de lá, um ônibus (foto) nos levou até as Cataratas do Iguaçu. 

Quando chegamos próximo às cataratas, é proposto uma caminhada (aprox. 1km) para apreciar os saltos, a vegetação e os animais – quatis predominantemente. Com sorte, dá para ver um lindo arco-íris se formar entre o Rio Iguaçu e o topo das cataratas. 

Já no final da trilha, fica a mais impactante queda d’água: a Garganta do Diabo. É neste ponto que podemos embarcar num elevador panorâmico e subir até o restaurante “Porto Canoas”, de onde dá para ver tudo de outro ângulo. Essa tour dura, em média, 3 horas. 

Valor: R$50,00 (cinquenta reais)

Ingressos:https://tickets.cataratasdoiguacu.com.br/home 

Tríplice Fronteira 

Foz do Iguaçu tem uma localização privilegiada, fica muito perto da Argentina (16km) e do Paraguai (12km), dando forma a tríplice fronteira. A Ponte Internacional da Amizade , construída em 1965, une brasileiros e paraguaios. Já a Ponte da Fraternidade (fechada por conta da pandemia), de 1985, nos une a los hermanos argentinos. O marco fica exatamente no ponto de encontro dos Rios Paraná e Iguaçu. Neste local, cada país possui um monumento simbólico identificado pelas cores de sua respectiva bandeira. 

Se decidiu ir até Foz do Iguaçu, você tem a oportunidade de cruzar a fronteira e conhecer o que há de mais atraente na cultura, gastronomia e lazer nos países vizinhos. Para isso, é importante – se for sua primeira vez – contratar passeios locais, que custam em média 100 a 150 reais por pessoa (ida e volta). Nós fomos ao Paraguai – Ciudad Del Este – aproveitar um passeio no comércio local. Cheio de oportunidades para garantir produtos mais em conta do que os que encontrados no Brasil. A Argentina mantém, há um ano, sua fronteira fechada por causa da pandemia. 

A tríplice fronteira tem uma boa estrutura com ambientação histórica, gastronomia regional e uma geografia única no mundo. O complexo turístico funciona das 10 às 23h. 

Valor: R$100 a R$150 (cem ou cento e cinquenta reais). 

Informações:https://instagram.com/prefeituradefoz?igshid=1vv7ipej1wf7n 

Parque da Aves 

Araras, tucanos, periquitos e tantas outras espécies tropicais vivem livre e pertinho dos visitantes dos Parques das Aves em Foz do Iguaçu. O espaço abriga cerca de 1000 aves de 150 espécies, brasileiras em sua maioria. Mas também existiram lindas aves da África, da Ásia e da Austrália. O local também auxilia na preservação de animais em extinção e garante uma interação saudável entre animais silvestres e nós humanos. Lá, além da contemplação, é possível alimentar as aves, numa experiência de imersão ímpar. Também é possível “matar” a fome. Dentro do complexo tem restaurante para auxiliar na caminhada. A imersão é incrível e nós mostramos mais no Instagram do @canalin__ 

Valor: R$60,00 (sessenta reais) + R$10 para alimentar os animais. 

Ingressos:https://ingressos.parquedasaves.com.br/home#/produto/3063 

Aviso importante: Se você for portador de alguma necessidade especial, é importante avisar ao seu agente de viagem para que ele verifique a disponibilidade de atendimento apropriado. 

Dreams Park Show

Neste complexo, o visitante encontra uma série de opções para se entreter. As atrações são: Dreamland Museu de Cera, Maravilhas do Mundo, Dreams Ice Bar, Dreams Motor Show, Vale dos Dinossauros, Dino Adventure e Super Carros

Visitamos o Museu de Cera, Ice Bar e o Vale dos Dinossauros. E o que podemos dizer é; preço acessível, ótima estrutura, tudo muito organizado e super divertido. Além das fotos aqui, postamos mais no Instagram do Canal In – @canalin__. Durante os passeios, as placas vão dando as orientações. Super didático e agradável. 

Sobre ingresso, infraestrutura e para tirar qualquer dúvida sobre o Dreams Park Show, acesse o site www.dreamsparkshow.com.BR 

Consumo / Compras: 

Uma opção bastante procurada para quem vem / vai  a Foz, são as compras nos países vizinhos, sobretudo Paraguai. Fomos até lá conhecer e trazer como dica para vocês também. A Argentina, na ocasião, estava com a fronteira fechada em razão da pandemia. 

No Paraguai – Ciudad del Este – tem o maior centro comercial a céu aberto da América do Sul. Por lá você encontra as melhores opções em produtos de informática, eletroeletrônicos, cosméticos, brinquedos, bebidas e até artigos esportivos. Além das lojas de rua – tipo a Av Sete de setembro em Salvador – ainda há opções dentro dos novos shoppings, a exemplo do Shopping China Importadoshttps://instagram.com/shoppingchinaimportados?igshid=1mb19i9k5dbri, o Shopping Paris https://instagram.com/shoppingparis?utm_medium=copy_link e a Cellshop Importados, que tem amplo espaço e que você encontra tudo quanto é tipo de itens, desde perfumaria a eletrônicos. 

DICA : O limite de compras com isenção de impostos na alfândega brasileira é de U$300. 

Outra coisa é que, no geral, somente 5 garrafas de um litro cada, podem embarcar POR PESSOA no avião. 

GASTRONOMIA:

O prato típico de Foz é o Pirá de Foz: Tecnicamente, o Pirá de Foz é o prato típico da cidade. Há, porém, um ponto a ser observado: ele foi eleito através de uma votação realizada pela Secretaria Municipal de Turismo, em 1996. O prato foi avaliado por representantes da rede hoteleira, setores ligados ao turismo e à gastronomia. Ou seja, foi criado com esse intuito, não possuindo uma ligação histórica nem social com o local e sua população. 

Mesmo com as controvérsias, ainda é um prato típico da cidade. É feito de surubim (peixe comum na região) e a base é molho de gengibre, purê de aipim e arroz com espinafre.

Outras boas opções não faltam. Como qualquer centro urbano, são muitos os restaurantes pela cidade. Queríamos ter ido à Argentina para “churrascar” mas, com a fronteira fechada comemos no Porto Canoas https://instagram.com/porto.canoas?igshid=vapx1hfknror , que fica no Parque Nacional das Cataratas e é super bonito e com valores acessíveis. 

Olha bem onde ele fica…

Outro ponto bom para comer e experimentar a gastronomia dos países vizinhos é a tríplice fronteira. No Marco das Três Fronteiras tem o Restaurante Cabeza de Vacahttps://instagram.com/restaurantecabezadevaca?igshid=1swzawi61zxwv – onde esse mix gastronômico é possível. 

Mídia: Nossa passagem por Foz foi registrada pelo Jornal G Dia, na coluna do jornalista Luiz Araújo. 

Impressões IN: Foz é lindo, tranquilo e cheio de atrativos turísticos. A cidade de temperatura agradável, se preparou para receber os turistas de maneira satisfatória. 

Nossa dica de ouro é se hospedar no centro, garantir antecipadamente os ingressos para os atrativos que vai visitar. Assim você consegue dividir o tempo adequadamente. 

Sabe aquelas abordagens de vendedores próximos aos pontos turísticos? Pois, em Foz não tem. Você fica livre para viver a experiência. Somente no final de cada roteiro, como de praxe, você visita as lojas de souvenirs.  

Outro destaque é que Foz é uma metrópole com mais de 200 mil habitantes, mas preserva a beleza, calma e ar de interior. A maioria das casas não tem muros, as pessoas são simpáticas e prestativas, a manhã é fria (pegamos 8º) e vai aquecendo no decorrer do dia, mas, não esquenta a ponto de fazer calor. Ou seja; aquela roupa de frio 🥶 pode sair do armário. 🥰😂 Foz do Iguaçu é uma cidade segura. O índice de violência lá, é irrelevante. Lendo jornais e assistindo os telejornais locais, por exemplo, o máximo que vimos foi furto e crimes ligados à fronteira. Nenhum crime é leve. Crime é crime! Mas, já passamos por cidade em que sair à noite era inviável por conta da insegurança. 

Ah, outra coisa boa: FOZ NÃO É CARO! 

Visite Foz. Nós voltaremos! 

Equipe Canal In 

Repórter / Foto /  Editor: Ricardo Henrique 

Produção / Apoio: Jailton Sales 

Suporte turístico: CVC Rio Vermelho e Natural Travel 

Agradecimento: Jornal G Dia / Luiz Araújo 

Compartilhe essa postagem